Campanha na Bahia recolhe embalagens de produtos químicos agrícolas

A campanha Campo Limpo, organizada na região de Juazeiro (BA), pretende reduzir os danos ambientais causados pelo descarte indevido de embalagens vazias de produtos químicos usados por produtores rurais.

A ação tem, pelo 16º ano consecutivo, o apoio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), junto ao Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), da Associação do Comércio Agropecuário do Vale do São Francisco (Acavasf) e outros.

A lei federal nº 9.974/00 determina a devolução das embalagens vazias aos estabelecimentos comerciais em que foram adquiridas. Segundo dados do Inpev, o Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.

“Esta é uma prática que tem acentuado a consciência brasileira e tornou o País líder e referência mundial em recolhimento, resultando em uma somatória de mais de 400 mil toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas retiradas do meio ambiente até o momento”, afirma Diana Cavalcante, representante da Acavasf.

A responsável pela logística de transporte é a indústria fabricante de defensivos agrícolas, que promove a coleta e a destinação final das embalagens às recicladoras ou incineradoras. A partir da reciclagem, são produzidos 17 tipos de materiais, como conduítes, duto corrugado, barricas de papelão e até novas embalagens para os defensivos agrícolas.

Defensivos

Os defensivos agrícolas são produtos utilizados na agricultura para controle de infestação de insetos, doenças ou plantas daninhas. Se descartados de forma inadequada no meio ambiente, geram resíduos sólidos e podem provocar contaminação ambiental.

Na última quarta-feira (16), os projetos públicos de irrigação Tourão e Mandacaru, geridos pela Codevasf no Norte baiano, iniciaram o recebimento dos frascos vazios e contabilizam 1,7 tonelada de embalagens recolhidas.

Até a o dia 21 de dezembro, localidades como Maniçoba, Curaçá I e II, Salitre, Paulo Afonso, Glória, Rodelas, Abaré, Pedra Branca, Ponto Novo e Casa Nova serão visitadas pela equipe que executa a campanha.

Instruções

O Inpev alerta os produtores para que, antes de entregarem as embalagens nos locais destinados, tomem cuidados como: esvaziar totalmente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador; adicionar água limpa à embalagem até ¼ do seu volume; tampar bem a embalagem e agitar por 30 segundos; despejar a água da lavagem no tanque do pulverizador e repetir o procedimento por três vezes; inutilizar a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo; e armazenar as embalagens em local apropriado até o momento da devolução.

Na central onde o produto é recebido, o rótulo é retirado e é realizada a classificação das embalagens. Depois desse processo, o material é prensado e encaminhado a uma empresa de reciclagem ou a um incinerador, indicados pelo Inpev.

O produtor que não fizer a devolução das embalagens pode ser autuado e receber multa – e ainda, em alguns casos, ser processado por crime contra o meio ambiente.

Fonte: Codevasf

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *